Diesel S-10 e S-500: em quais veículos utilizar e riscos do abastecimento incorreto

Em 2012, o  Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (PROCONVE), programa criado pelo CONAMA para controlar a poluição do ar causada por veículos automotores, implementou as fases P7 e L6. 

Essas fases estabeleceram padrões mais rigorosos de emissões de gases poluentes para veículos pesados (acima de 3,5 toneladas) e veículos leves (até 3,5 toneladas), respectivamente. 

Atualmente, o PROCONVE avança para uma nova fase, denominada PROCONVE P8-LD (Leves Diesel), ela ampliará os padrões de emissões para veículos leves movidos a diesel, como utilitários esportivos (SUVs) e picapes. 

Com isso, o objetivo será reduzir ainda mais as emissões de poluentes desses veículos, alinhando-se às tendências globais de sustentabilidade e melhoria da qualidade do ar, ações presentes em iniciativas ESG.

Essa ação resultou na fabricação de veículos com motores mais avançados tecnologicamente e introduziu um novo tipo de diesel chamado S-10, que possui um teor máximo de enxofre de 10 partículas por milhão, substituindo o antigo diesel S-50, que continha 50ppm de enxofre.

Portanto, o uso do diesel S-10 tornou-se essencial nos veículos com motores modernizados, enquanto os veículos fabricados antes de 2012 geralmente utilizam o diesel S-500, que possui um teor de enxofre de 500ppm.

Preparamos esse artigo para sinalizar a diferença entre o abastecimento utilizando diesel S-10 e S-500 e as consequências de um abastecimento feito de maneira incorreta. Boa leitura!

Veículos a diesel são fabricados desde 2012

Gestores de frotas precisam compreender a importância da correta utilização dos sistemas S-10 e S-500. Para isso, é necessário analisar, em primeiro lugar, as diferenças no funcionamento do motor desses veículos, uma vez que aqueles fabricados a partir de 2012 passaram por modificações com o objetivo de reduzir a emissão de gases poluentes.

Uma das modernizações implementadas é o Sistema de Redução Catalítica Seletiva (SCR), que visa diminuir a emissão de gases poluentes nos veículos a diesel. Esse sistema trabalha em conjunto com o reagente ARLA-32, uma substância não-tóxica que realiza uma redução química das emissões de óxidos de nitrogênio presentes no escapamento dos veículos.

É importante ressaltar que o ARLA-32 não é um combustível nem um aditivo de combustível. Ele deve ser utilizado em um tanque específico nos veículos diesel equipados com o sistema SCR. 

O consumo médio de ARLA-32 corresponde a cerca de 5% do consumo de diesel, o que significa que será necessário abastecer o reagente em quantidades significativamente menores. A proporção recomendada é de 5 litros de ARLA-32 para cada 100 litros de diesel.

Além disso, os fabricantes automotivos adotaram o sistema de Recirculação dos Gases de Exaustão (EGR), que permite a redução da emissão de enxofre através do retorno dos gases de escape para a câmara de combustão. Diferentemente do sistema SCR, esse sistema não requer o abastecimento de ARLA-32.

A escolha entre essas tecnologias fica a cargo dos fabricantes, tendo o SCR como um dos  sistemas mais utilizados no Brasil e no mundo é o SCR.

Diferenças entre os Óleos Diesel S-10 e S-500

O óleo diesel S-10, um combustível transparente ou levemente amarelado, foi introduzido no mercado em janeiro de 2013, substituindo o S-50. Esse tipo de diesel é altamente recomendado para abastecer veículos equipados com sistemas SCR e EGR. 

Além de apresentar menor impacto ambiental, o S-10, pois o seu número de cetano fica em 48 quando fazemos a comparação direta com o diesel S-500 (42) e o diesel S-50 (46). Essa característica proporciona ao S-10 uma qualidade de ignição superior aos demais. 

Por outro lado, o óleo diesel S-500, de cor vermelha, começou a ser gradualmente comercializado no Brasil a partir de 2006, substituindo completamente o S-1800 em janeiro de 2014. 

Esse combustível é destinado a veículos fabricados antes de 2012. Comparado ao S-10, o S-500 é mais poluente e possui menor capacidade de ignição, o que pode causar dificuldades ao motorista em dias frios.

Em resumo, o óleo diesel S-10 é uma opção ecologicamente correta, limpa e eficiente, adequada para veículos com sistemas SCR e EGR, enquanto o diesel S-500 é menos favorável ao meio ambiente e pode apresentar desafios de ignição em condições climáticas adversas. 

É importante considerar essas diferenças na hora de abastecer os veículos, visando a melhor performance e redução de emissões.

Práticas ESG: utilize para escolher o seu combustível

A ESG tem como objetivo promover as melhores práticas de sustentabilidade com foco no Ambiental, Social e Governança. O seu termo em inglês significa “Environmental, Social and Governance”.

Cada vez mais empresas de diversos segmentos abriram os olhos para ações ambientais, ações que estejam alinhadas com esse movimento, o que inclui as melhores práticas de preservação ambiental, sociais e de governança. 

Preocupar-se com o combustível que a sua empresa vai utilizar, vai além da questão orçamentária, passa por boas práticas e acordos que tem por objetivo reduzir os impactos no meio ambiente.

Monitore a gestão de combustível na sua empresa

A CTA Smart é a empresa líder em automação de combustível, presente em diversas localidades no território nacional e em outros países. Nossa tecnologia avançada oferece aos gestores de frotas uma solução excepcional para controlar e gerenciar o consumo de combustível de forma precisa e eficiente.

Para os gestores de frotas que desejam ter maior eficiência e também contribuir para a preservação do meio ambiente, é fundamental ter um controle detalhado do consumo de combustível de seus veículos. 

Dessa forma, ao implementar uma gestão de combustível eficiente por meio da CTA Smart, os gestores de frotas não estão apenas otimizando seus recursos e reduzindo custos operacionais, mas também estão adotando práticas ambientalmente sustentáveis. 

As boas práticas de ESG demonstram um compromisso com a responsabilidade ambiental e contribuem para um futuro mais sustentável.

Nossa equipe comercial está à disposição para esclarecer todas as suas dúvidas e fornecer informações adicionais sobre como a CTA Smart pode ajudar sua empresa a alcançar uma gestão de combustível eficiente e adotar práticas sustentáveis. 

Entre em contato conosco e descubra como podemos colaborar juntos em prol de um mundo mais verde.

Posts Relacionados

Segurança e controle: como a automação da CTA Smart contribui na Gestão de Abastecimento Diesel

Segurança e controle: como a automação da CTA Smart contribui na Gestão de Abastecimento

A automação na gestão de abastecimento interno representa um avanço na administração da frota. Com o sistema, a sua empresa terá maior segurança e controle do diesel utilizado […]

CONTINUE LENDO
Como a Gestão de Abastecimento do Caminhão Comboio Impacta na Produtividade Diesel

Como a Gestão de Abastecimento do Caminhão Comboio Impacta na Produtividade

Descubra como a tecnologia de automação pode impactar positivamente na gestão de abastecimento por caminhão comboio. 

CONTINUE LENDO

Inove a gestão da sua frota e começa a economizar diesel Hoje mesmo

FAÇA UM ORÇAMENTO