Smart News – Boletim semanal

Olá, leitor! Chegamos com mais uma edição do Smart News por aqui. O seu boletim semanal atualizado sobre tudo que aconteceu de mais relevante durante os dias 28 de maio a 2 de junho.

Por aqui, todas as sextas-feiras, ao meio dia, reunimos os fatos mais importantes da semana dos setores de:

  • Transportes de diversos segmentos;
  • Logísticas;
  • Tecnologias;
  • Economia;
  • Agronegócio.

Fique de olho no nosso balanço semanal e tenha a informação na palma da sua mão através do nosso Instagram e Linkedin !

Smart News, a semana resumida, a informação completa.

Boa Leitura!

Incidência do ICMS deve aumentar o preço do litro da gasolina já na quinta-feira, 1º de junho

A nova alíquota de R$ 1,22 por litro é R$ 0,20 superior à média cobrada atualmente e aumentará em 22 estados e Distrito Federal

A partir desta quinta-feira (1), o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) volta a ter parcela nos valores dos combustíveis. A nova alíquota de R$1,22 por litro será única e federal, ou seja, cobrada em todo o país. Esse valor é 20 centavos superior ao praticado antes da isenção. De acordo com a Veja, o cálculo leva em conta o valor cobrado nos 26 estados e DF divulgados pela Federação Nacional de Comércio de Combustíveis e Lubrificantes (Fecombustíveis).

O estado que tem a expectativa de ter a maior alta no valor comercializado é o Mato Grosso, com um aumento de R$0,30. Em outros dez estados, é esperado que o imposto represente entre R$ 0,25 e R$ 0,29  de alta. Em apenas 3 estados os preços ficarão mais baratos, são: Amazonas, Piauí e Alagoas. No estado de Roraima, não é esperada uma variação do valor.

Segunda o Terra, além de estabelecer um valor único em todo o país, o ICMS passa a ser cobrado apenas de produtores e importadores, e não mais para todos os setores, que incluem distribuidores e revendedores.

Fonte: Veja, Terra

Agro é o carro-chefe da economia brasileira e puxa o aumento de 1,9% do PIB no primeiro trimestre

Agropecuária teve alta de 21,3% em relação ao mesmo período de 2022. O crescimento é devido a boa safra de soja e milho, principalmente.

O relatório do Índice Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgado nesta quinta-feira (1) apontou que o crescimento do indicador foi puxado pela safra recorde de soja e bom desempenho da safra de milho – as duas somam 50% do valor da agropecuária – neste primeiro trimestre, diz a CNN Brasil.

Segundo o Globo Rural, a coordenadora de Contas Nacionais do IBGE, Rebeca Palis, observou que a soja e o milho têm uma grande importância na atividade agropecuária anual, de acordo com as contas nacionais. No início do ano, a soja tem um peso maior, pois sua colheita é realizada quase por completo nesse período, tendo um impacto significativo nos resultados do PIB do primeiro trimestre. Além disso, ela destacou boas safras de milho e fumo como fatores positivos, sendo que o milho terá uma safra recorde neste ano.

De acordo com o Poder 360, a agência de crédito Austin Rating aponta que o relatório divulgado posiciona o Brasil como um dos quatro países com maior crescimento no mundo no 1º trimestre de 2023, ficando atrás apenas de Hong Kong – economia independente da China -, Polônia e China.

Fonte: CNN Brasil, Globo Rural, Poder 360

Mato Grosso tem rentabilidade ameaçada pela desvalorização de commodities

Milho e soja caem de preço e colocam em risco a arrecadação dos produtores rurais do estado.

A redução dos preços da soja e do milho no estado do Mato Grosso está colocando em risco a rentabilidade dos agricultores, gerando incertezas em relação aos ganhos e aos gastos envolvidos. Durante este segundo semestre, houve uma queda acentuada nos valores das commodities, o que tem trazido dificuldades econômicas para os produtores, em contraste com o recorde alcançado nos primeiros três meses do ano.

Em entrevista ao Canal Rural, Valmor Demarco, um produtor de Campo Verde, manifestou sua surpresa com a queda nos preços e previu que teria que vender a saca de soja por aproximadamente R$100,00, ao invés dos R$170,00 inicialmente esperados. A situação é ainda mais preocupante no caso do milho, uma vez que o valor atual do grão, em torno de R$34,00, não é suficiente para cobrir os custos de produção. O investimento realizado para o cultivo do milho é de R$80,00 por saca, o que significa que seriam necessárias cerca de 150 sacas por hectare para cobrir essas despesas.

Segundo o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), o custo estimado para o cultivo da safra de soja de 2023/24 é de 4 mil reais por hectare. Os baixos preços das commodities representam um risco para os lucros dos agricultores.

Fonte: Canal Rural

NAVEGAÇÃO RÁPIDA

Posts Relacionados

4  Desafios da Gestão de Combustível em Construção Civil Notícias

4  Desafios da Gestão de Combustível em Construção Civil

Em empresas do setor da construção civil, o consumo mensal de combustível é altíssimo. Para que tenha uma base, as organizações usam mensalmente 50 mil, 150 mil e […]

CONTINUE LENDO
Gestão de Abastecimento: Automação x Manual Notícias

Gestão de Abastecimento: Automação x Manual

A automação na gestão de abastecimento da frota de veículos traz muitas dúvidas, principalmente quando comparada com a forma manual. Isso porque o controle do abastecimento interno tem […]

CONTINUE LENDO

Inove a gestão da sua frota e começa a economizar diesel Hoje mesmo

FAÇA UM ORÇAMENTO