O Governo Federal decidiu manter a mistura de biodiesel no diesel em 10% para o próximo ano. O objetivo é tentar garantir maior estabilidade nos preços e a oferta de combustíveis no mercado, o Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) decidiu pela manutenção do teor de 10% de biodiesel no diesel para todo o ano de 2022.

As medidas servem para conter o preço do diesel com a manutenção da Política Nacional de Biocombustíveis, conferindo previsibilidade, transparência, segurança jurídica e regulatória ao setor. Em janeiro, portanto,  terá início o novo modelo de comercialização de biodiesel. A promessa é de que o novo modelo siga sendo monitorado permanentemente pelo CNPE.

 

O Biodiesel no Brasil

O uso do diesel no Brasil é limitado aos veículos utilitários, dentre eles os caminhões e ônibus. Chamado de diesel comercial, o combustível é o resultado de uma mistura de diesel A (mineral, de origem fóssil) e do biodiesel (renovável, proveniente de óleos e gorduras).

Capitaneado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o Biodiesel tem componentes que são compatíveis com qualquer equipamento diesel, para ser utilizado em qualquer parte do mundo. No estado puro, o biodiesel brasileiro é o produto com maior estabilidade que se tem conhecimento, característica fundamental para um bom combustível.

 

O Biodiesel em veículos grandes

Para caminhões e ônibus, o biodiesel não encontra restrições técnicas para motores diesel e veículos comerciais. Isso porque acaba aumentando a estabilidade do combustível à temperatura e oxidação, em função da redução da carga orgânica.

Assim, os motores ficam menos propensos a serem contaminados pelos sistemas de injeção, combustão, e pós-tratamento dos gases de escape.

 

A economia da bomba para o tanque

De acordo com um estudo feito pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), se houvesse uma redução de 50% da mistura de biodiesel ao óleo diesel comercializado no Brasil, haveria alívio imediato sobre o preço nas bombas. 

Para o transportador, porém, reduzir o preço do óleo diesel não resolve o problema de economia, já que os valores de fretes também tendem a reduzir. O que garante então que a gestão de frota consiga operar sem prejuízos?

Uma boa gestão, com controle de consumo, mensurando a média que caminhões ou ônibus fazem por litro é apenas o começo. Ter estes dados em mãos permite fazer o máximo possível para ter o retorno necessário e aproveitar melhor o diesel.

 

Por isso, lembre-se sempre de ter o controle de abastecimento com soluções inteligentes, como o CTA Smart. Você pode gerenciar seus custos e consumo, para avaliar a estratégia da sua empresa e identificar oportunidades de investimento e melhoria.

Quantas vezes os veículos de sua frota abastecem com diesel semanalmente? É preciso transformar cada um desses indicadores e quantificar os resultados. Dessa forma, será possível visualizar melhor os recursos poupados. A instalação do CTA Smart permite esse gerenciamento por veículo e motorista, em qualquer bomba que você queira a instalação.

Com o CTA, você, gestor de frota, controla a quantidade de diesel dispensado em cada trajeto, visualiza informações como periodicidade e consumo, e pode transformar os dados em gráficos e tabelas para conferir seus indicadores de abastecimento. 

 

Instalamos nossa solução em sua(s) bomba(s) e você mesmo, de onde estiver, tem acesso aos dados de liberação para cada veículo ou motorista. Ainda, você exporta dados de consumo, planilhas que mensuram quanto cada caminhão gasta e quanto sua frota gasta no total.

 

marketing CTA SMART
Coo