Transporte sustentável: como reduzir as emissões de carbono

Quando se trata de transporte sustentável e boas práticas de ESG, certamente são  temas de interesse para grandes empresas e gestores de frotas. Eles estão diretamente ligados a vários setores de negócios, são de interesse da sociedade e também afetam a economia. 

Dessa forma, se tratando de empresas de logística ou do ramo de transportes em geral, o assunto é tratado como uma grande prioridade, ocasionando assim em investimentos cada vez maiores em sustentabilidade para os veículos.

Ainda no início do século XX, a Revolução Industrial trouxe grandes avanços para o setor, em contrapartida também houve o aumento de poluentes na atmosfera.

Por isso, muitas empresas de transporte deram início a movimentos para reduzir os impactos ambientais, adotando assim práticas sustentáveis. Seguindo a mesma linha, Governos e a sociedade civil abraçaram a bandeira da energia sustentável e a redução da emissão de C02, alinhando suas ações com as boas práticas de ESG (Environmental, Social and Governance).

Já temos em território nacional algumas medidas que buscam reduzir a emissão de carbono na atmosfera, como por exemplo corredores sustentáveis, o uso de combustíveis naturais entre outras ações. 

Vale mencionar que de forma voluntária, o Brasil está comprometido com o protocolo de Kyoto, criado em 1997, com o objetivo de reduzir a emissão de gases que causam o efeito estufa através de um esforço internacional e colaborativo entre os principais industrializados.

Preparamos esse artigo para demonstrar como é possível que as empresas sejam capazes de reduzir a emissão de gás carbono e ter uma política de transporte sustentável. Boa leitura!

O que é dióxido de carbono?

O Dióxido de carbono é um óxido presente na atmosfera e está diretamente ligado ao efeito estufa, sendo assim, considerado prejudicial ao ambiente. 

Popularmente conhecido como gás carbônico, o CO2 vem aumentando gradualmente na atmosfera terrestre, muito em decorrência da queima de combustível de veículos movidos com matéria prima derivada do petróleo, que são os principais fornecedores de CO2.

Além do CO2, existem outros óxidos da mesma família que também são prejudiciais ao meio ambiente, como o Monóxido de carbono (CO), Dióxido de nitrogênio (NO2), Dióxido de enxofre (SO2) e Hidrocarbonetos (HCs).

Quais os prejuízos da emissão de carbono?

Há anos, especialistas em condições climáticas têm alertado sobre a intensificação do efeito estufa e o aumento da temperatura média do planeta por consequência do excesso de dióxido de carbono.

Por conta da alta taxa de emissão de CO2 entre outros tipos de óxidos da mesma família, ocorre um grande desequilíbrio na natureza, como eventos climáticos extremos que tem por consequência, secas, enchentes, tempestades e furacões mais fortes e frequentes. 

Além disso, o aumento do dióxido de carbono na atmosfera pode afetar de forma negativa a vida marinha, levando à morte de diversas espécies que vivem no fundo do mar, devido a sua capacidade de tornar a água tóxica e prejudicial para diversas espécies. 

Com isso, o excesso de emissão do dióxido de carbono também libera poluentes que afetam a qualidade do ar, o que pode ocasionar impactos negativos na natureza, reduzindo a biodiversidade, e o habitat de muitas espécies de animais e zonas florestais. 

Como reduzir a emissão de carbono nos transportes?

Não é surpresa para ninguém que as mudanças climáticas afetam cada vez mais a vida no planeta. Diante disso, diversas medidas para combater a degradação do meio ambiente estão sendo tomadas.

A redução do carbono na atmosfera é uma das principais preocupações de empresas e governos ao redor do mundo. 

Segundo o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o setor de transporte logístico é o principal responsável pela emissão de gases de efeito estufa, tendo no total 21% das emissões de dióxido de carbono do mundo, e no Brasil não é diferente.

Sendo assim, algumas empresas já buscam formas de se adaptarem a práticas sustentáveis e desenvolvem projetos para tentar reduzir o impacto ambiental, veja algumas iniciativas.

Projeto Corredor Sustentável e combustível natural – A multinacional líder em gestão ambiental, Ambipar,  apresentou um projeto de Corredor Sustentável, que marca a mudança da matriz energética de sua frota para fontes renováveis.

Com isso, a multinacional passou a utilizar caminhões movidos a gás natural comprimido (GNC), um biocombustível proveniente da decomposição de materiais orgânicos.

A estimativa da empresa é na redução aproximada de 20% da emissão de gases poluentes.

Uso de gás natural – Caminhões e outros veículos que utilizam o gás natural, estão adotando uma tecnologia segura para reduzir a poluição do ar.

Tendo em vista o valor acessível, milhares de veículos com motores a gás natural operam ao redor do mundo. Juntos, eles geram uma quantidade muito menor de emissão de óxidos de nitrogênio, material particulado, compostos orgânicos voláteis ou monóxido de carbono. 

Adoção de carro elétrico – Uma das principais vantagens da utilização de carros elétricos é a baixa emissão de poluentes. Em comparação ao motor que utiliza combustível tradicional, o de propulsão elétrica reduz em aproximadamente 30% a geração de CO2

Contudo, vale mencionar que embora os automóveis elétricos não liberem fumaça enquanto circulam, eles produzem gás carbônico durante sua fabricação, o que limita a área atingida. 

Em alguns países, a energia é obtida por matrizes poluentes, como carvão e diesel. Mas, no Brasil, 83% vêm de fontes renováveis. Sendo assim o único dano para a atmosfera provocado pelo carro elétrico em movimento é o atrito dos pneus com o asfalto.

Reduza a emissão de CO2 com uma gestão de abastecimento eficiente

A CTA Smart tem a melhor automação de combustível do mercado e está presente em diversos pontos do território nacional, assim como em outros países.

Gestores de frotas que desejam reduzir a emissão de CO2 e ajudar o meio ambiente, precisam realizar um controle preciso de quanto combustível os veículos estão utilizando. Por exemplo, caso seja detectado o uso excessivo de combustível em um caminhão, ele provavelmente estará emitindo uma quantidade maior de CO2 na atmosfera.

Sendo assim, ter uma gestão de combustível eficiente, também contribui para boas práticas de ESG, ajudando o meio ambiente e tendo uma prática de veículos sustentável.

Fale com o nosso time comercial, estamos prontos para esclarecer as suas dúvidas.

Posts Relacionados

O que é agricultura 4.0? Quais os benefícios e como implementar Gestão de Frota

O que é agricultura 4.0? Quais os benefícios e como implementar

A agricultura 4.0 é uma tendência que segue em crescimento em meio ao contexto de aquecimento global e políticas de preservação ambiental. A transformação digital emerge como o […]

CONTINUE LENDO
Smart News – Boletim semanal Gestão de Frota

Smart News – Boletim semanal

Olá, leitor! Chegamos com mais uma edição do Smart News por aqui. O seu boletim semanal atualizado sobre tudo que aconteceu de mais relevante durante os dias 20  […]

CONTINUE LENDO

Inove a gestão da sua frota e começa a economizar diesel Hoje mesmo

FAÇA UM ORÇAMENTO